quinta-feira, 14 de abril de 2011

tal mãe, tal filha


Ivan Pavlov foi um cientista russo que ficou conhecido pela pesquisa do papel do condicionamento na psicologia do comportamento, o reflexo condicionado. O babado dos cachorros salivantes, ou do tratamento de Alex DeLarge em "A Laranja Mecânica", que consistia em presenciar formas extremas de violência sob a influência de um novo soro, e ver um filme muito violento atrás do outro para que associasse as ações violentas com a dor que estas lhe provocavam. Sabe qual é, né?
Onde estou indo com tudo isso? Aproveite esse momento de conhecimento geral porque quando acabar de ler este post e ligar lé com cré, vai querer me acompanhar em um grito de desamparo e profundo desespero:

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH.

Quando era pequena eu e minha irmã fazíamos o que todas as crianças fazem. A resposta de minha mãe dependia do humor, paciência e boa vontade dela. Ou falta deles. Sua reação física, seus trejeitos, como ela lidava com a frustração de não conseguir controlar duas meninas sem cinto de segurança se matando e berrando no banco de trás de seu fusca azul calcinha placa AA0845 dia sim dia sim foi ficando gravado nas nossas memórias. Quando a gente cresce, a gente faz promessas para si mesma de que jamais fará certas coisas como nossas mães faziam. Aquelas que ela fazia a todo momento porque nós éramos umas pestes selvagens. Coisas que na adolescência nos irritava e a gente  odiava e criticava na cara dela. A gente presenciou a cena tantas, tantas vezes, que elas fazem parte de quem somos hoje.
Um dia me pego na mesma situação que ela, agora com Matraca-Trica e Fofoquinha e, em um reflexo condicionado que nem percebi das primeiras vezes que aconteceu, reagi como ela costumava reagir. Os mesmos trejeitos de agressividade passiva, os tiques, o humor. Toda essa reposta em reação ao nosso comportamento que estava dormente de repente veio à tona, fora de controle. Fora de controle sim, porque não consigo parar!!
Eu virei a minha mãe.

 AAAAAAAAAAAHHHHH.

Pavlov deve estar muito orgulhoso de seu trabalho.

Um comentário:

Mãe de Duas disse...

E não é?
Meda.
Bjs